Oé-Cusse Ambeno

header_oe-cusse

Antes Oé-Cusse Ambeno era designada como sendo um dos 13 Distritos de Timor-Leste, mas agora passou a ser uma Região Administrativa Especial com a sua autonomia administrativa e patrimonial, personalidade jurídica e órgão próprios, nos termos da Lei n.º 03/2014 de 18 de Junho.

No entanto, o poder legislativo não desviará dos únicos órgãos de soberania a que pertence, o Parlamento Nacional e o Governo, e o nível de descentralização administrativa terá como base os princípios da unidade do Estado e integridade da soberania nacional. O Governo continuará com o poder de acompanhar e fiscalizar e garantir a Representação Externa, a Defesa e a Segurança, o Ministério Público e os Tribunais.

Oé-Cusse Ambeno, é um enclave da República Democrática de Timor-Leste limitada a Norte pelo Mar Savu e a Sul, Este e Oeste pelo território indonésio. Foi o local de desembarque dos portugueses há quase 500 anos, nas areias de Lifau.

Possui uma área de 814 km2, com 48 km de costa, dividida em quatro sub-regiões (Pante Macassar, Oesilo, Nitibe e Passabe) e 18 Sucos.

Além da história da nação timorense ter começado em Oé-Cusse Ambeno, o facto de ser um dos territórios mais pobres, com mais de 60% da população a viver abaixo do limiar da pobreza, também foi uma das razões pela qual foi escolhida para começar um novo futuro para o país. Um futuro comprometido com a prosperidade, a paz e o desempenho.

 Uma Cidade Verde

Oé-Cusse Ambeno será conhecida como uma Cidade Verde, onde a Responsabilidade Ambiental estará sempre presente, a começar pelas características e qualidade das suas Infraestruturas.

Relativamente à produção da energia, dar-se-a prioridade a produção por fontes renováveis e limpas.

Este post também disponível em: Inglês, Tétum